sábado, 13 de dezembro de 2014

Lou(cura)

Se para ti já sou passado
restos e rastros quase mortos
poucas lembranças e remorsos
traumas e tempos acabados

És em mim lembrança viva
de dois corpos enlaçados
de dois corações atormentados
da dor latente e sofrida

E da traição não absolvida
me restam teu falso descaso
me restam teus poucos discursos

E assim sigo este percurso
guiada às cegas pelo acaso
herdando uma alma repartida.









terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Fatalidades

Acertei na quina
Esquina
Daquela mesa
Pequenina
                           Joelho roxo
                           Orgulho frouxo
                           Gritinho xoxo
                De dor aguda.
     


domingo, 7 de dezembro de 2014

Expectativas


Mesmo quando não dá pé, 
M
     e
        r
           g
               u
                   l
                      h 
                          a
                              r

Isso é amar. 

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Teus olhos

Teus olhos
Sempre janelas
De minh'alma
Hoje
Oceano profundo
De mágoa
Escuridão
Não compreendida.

Mas que ainda me fazem fitá-los
Buscando
Nessas água profundas
Alguma lágrima
Alguma vontade moribunda
De não me deixar partir
De acabar com tudo
O que me deixa
Aflita.

You are my one divine 
But I'll never look you in the eyes again. 

domingo, 30 de novembro de 2014

domingo, 23 de novembro de 2014

domingo, 16 de novembro de 2014

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

domingo, 9 de novembro de 2014

Do que faz

Me mata
Aos Poucos
Esse desejo
De teu gosto
Me mata
Aos Poucos
 Silêncio
Aos poucos
Me mata

sábado, 8 de novembro de 2014

Previsão

Sorr(indo)
Am(ando)
Sent(indo)
A despedida estava lá
Nos gerúndios do amor nosso.

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Preci(o)sidades da saudade

É preciso distrair
Distrair do que ficou
Distrair do que você deixou
Distrair da mágoa que restou
Dos planos que fizemos
Das falhas que plantamos
Do tempo que amamos
Do desejo de você
                                   É preciso Distra(ir)

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Perdida

conheci
reconheci
desconheci e me achei em você.
Para onde vai esta estrada moço?

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Do espaço

E sem solução
E sem sorrisos
E sem sonhos
E sem o mundo
Que um dia
Eu
Quis
Para
Nós.
Incompleta

Bom do amor

Bom do amor
É o desespero
Jogar-se no chão
Surrupiar um beijo
Gritar, clamar, declarar
Impedir que qualquer ódio
Leve embora o tão sonhado
Bom do amor.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Do marasmo

A lua embaçada
A rua parada
O cachorro latindo
O silêncio reina
Enquanto tudo grita
Dentro de mim.

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Entre

Com poesia não se engana
Poesia é como droga
Aquela que vicia
Aquela que te adora.

Amemos a poesia
E não seus sujeitos comuns
Da estranheza rima
Do verso perfeito, como nenhum.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Desejo do lugar eterno


No meu vazio
No meu não-estar
Me faz ser completa
Se faz meu lugar.

Em ti
encontro-me
No eu, que tens contigo,
Sigo sendo, em ti, comigo.

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

domingo, 7 de setembro de 2014

Nosso

Amor esse nosso
De conchinha
Entrelaçados
Virando noites
Dormindo ou acordados
Amor esse nosso

sábado, 6 de setembro de 2014

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Do não reflexo do que deseja-se

Ah, esse amor vampiro,
No espelho
Não refletido.
Torne-se imagem visível
Torne-se um amor crível,
Mostre as formas desconexas
Eu espero, sem nenhuma pressa.
Mostre-me que refletes em mim
O meu amor
Todo seu.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Curta sobre o amor não pronunciado diariamente

Nas curvas do sorriso
Guardo todo amor que sinto
Enquanto meus olhos
Focam em quem gera tudo isso
Você.

Sempre, você.

domingo, 10 de agosto de 2014

Do sonho de poder sonhar a dois

Refaço os meus sonhos
Para rimar com os seus.

E no silêncio eu espero
Que nossos sonhos se encontrem
E num dia de sol, se amem
E juntos a sonhar comecem.
E no silêncio, eu espero.
Sem esperar muito de tudo
O que o dia traz.
Só espero que ele traga você.

Receita

Poesia
À conta gotas.
Todo dia,
A vida toda.

domingo, 3 de agosto de 2014

Domingo

24 horas se foram
24 horas se vão 
24 horas perfeitas
Entrelaçada em tuas mãos 

Permaneça. 

quarta-feira, 30 de julho de 2014

domingo, 27 de julho de 2014

Da leveza de te amar

E nas tentativas
De não ter expectativas
Descubro em teus carinhos
O conforto de um presente feliz.
Amor.

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Surpresa

Abre um sorriso
Alegra a alma
Preenche de amor
Mantém a calma.

Inesperadamente, você.

terça-feira, 22 de julho de 2014

domingo, 20 de julho de 2014

domingo, 6 de julho de 2014

Do desabafo branco gelo

Ensaiei com as paredes do teu quarto
Meu discurso revolucionário de amor
Mas teus olhos me emudeceram
E tuas mãos me congelaram.

Eu poderia ficar congelada aqui para sempre
Mas você precisa dormir..

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Matrioshka

Camada por camada
É assim que protegemos
Nosso amor,
Tão meu,
Tão seu,
Tão frágil,
Tão forte,
Tão nosso, amor.

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Amor é tanto
Dúvida e
Desespero
Amor é quanto
Tempo e
Tempestade
Amor é tanto quanto
Meu suspiro
Sua tranqüilidade
Nosso amor
Tanto, quanto
Para a eternidade.




quinta-feira, 12 de junho de 2014

Porta Aberta

Eu senti
Que a minha casa era ai
Que meu suor espalhou-se todo em ti
Ameno
E tudo assim tão belo
Eu senti
Que deveria lhe acordar
Abrir a janela
E ver o luar... Tão lindo
Não se esqueça
Por enquanto e sempre
De mim e da  porta aberta
Sem corrente
Que deixei para você entrar
Nem vi você chegar
Foi como ser feliz de novo
Nem vi você chegar
Foi como ser feliz
Ainda faz
Um tempo bom
Pra desperdiçar comigo
Podemos enfeitar domingos
Feriados, carnavais
Em nosso amor encontrar a paz
De ser feliz de novo
Nem vi você chegarFoi como ser feliz de novo
Nem vi você chegar
Foi bom te ver E serFelizDe novo. Pra sempre.
 
 Inspiração

sábado, 7 de junho de 2014

Da grandeza das coisas em um quarto pequeno

E nesta cama
Deste tamanho,
Cabe tudo o que eu quero
Cabe tudo o que eu ganho

Eu e você
Trocentos suspiros,
Uma coberta
E um punhado de livros.

Fluente

Poesia é tudo o que
                             Flui.
Poesia é tudo o que
                             influ(i)encia.

domingo, 1 de junho de 2014

Não me deixe

Sentada ao teu lado
Assisto sua felicidade
E ela se faz minha.
Enroscada em seus braços
Sinto sua respiração
E ela se faz minha.
Deitada em teu corpo
Observo seu olhar
E ele se faz meu.

Andando de mãos dadas
Almoçando em casa
Assistindo filmes
Fumando na sacada

Abro mão do eu
E amo ser nós
Amo ser dois
Amo você,

Apesar de tudo
Apesar do medo
Que cresce
Apesar de tudo
Amo
Você.

Não me deixe ser dois
Sozinha.


quinta-feira, 22 de maio de 2014

Da noite mal dormida

Faz alguns dias que meu coração está calado,
Ou esta completo com você
Ou com medo de algo dar errado.

O grito se faz mudo,
Mas não deixa de existir.

5 dias de distância
2 te vendo sorrir
Todos de amor
Todos com temor.
Todos sonhando
Com seu beijo e seu calor.

quarta-feira, 14 de maio de 2014

terça-feira, 13 de maio de 2014

Pronome de Tratamento


 Begging you please, baby,  
Show me your world



É simples,
É fato,
Meu mundo é você
e ponto.

domingo, 11 de maio de 2014

Intervalos

Intervalos
Entre a felicidade 
Que consomem
E amedrontam
Quem já pulou
De cabeça. 

Mesmo voando, posso ver o chão, e ele me dá medo. 

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Setenta e duas horas

E foi ontem,
Que não só senti teu corpo
Entrelaçado no meu
Mas também meu coração
Em sintonia com o teu.
Irresistível foi nao dizer que amava-te
Dessa vez, apertos e abraços
Não bastariam.
Setenta e duas horas perfeitas
Setenta e duas horas de amor.

domingo, 4 de maio de 2014

Da tarde de domingo

Um futuro que está presente
Enquanto observo-te inconsciente
Em meus braços, dormindo
Um futuro que sonho, desejo e vem vindo...

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Entre

Entre
O amor
A tristeza
A angústia
E a leveza

Existia um banco de praça.

Dia-a-dia

3 dias
4 noites
Com você em meus braços
Prazer, loucura, cuidados
E em tudo isso,
Amor
Lado a lado.

domingo, 20 de abril de 2014

Tato

Mãos que se apertam
Tateando o amor
Que se esconde
Nas hesitações da voz
Em dizer que te amo
E te amo
E te amo

terça-feira, 15 de abril de 2014

Da utilidade de planejar o inútil

Nestas tardes de Sol
Planejo futuros
Pensando em você

Que chega bem manso
Desarrumando todos
-planos pra quê?

Agora percebo, é nada mais que o desejo!
afogando minh'alma
Em desinquieta função

Organizando os minutos
Enquanto exista 
Qualquer solidão

Preenchem-me os sonhos
De tamanha esperança
Em ver-te sorrir

E durante esta andança
Já sem planos quadrados
Sem olhar para os lados
Do teu lado seguir. 


domingo, 13 de abril de 2014

Almática I

Minha alma sempre gritou,
A todo tempo gritou,
De carinho
De revolta
De cansaço pelo peso
De tudo o que passou
Gritou.

Mas hoje anda quieta,
Sentida
Virou alma recolhida
Mas sempre treme
Treme toda vida
De medo de voltar a gritar
De medo de ser esquecida
De medo das reviravoltas voltarem
e pelas rachaduras dos gritos
Lhe redesfazerem
Partida.

terça-feira, 8 de abril de 2014

Boa noite prateada

Um dia
Que termina
Cinza e
Avermelhado

Um dia sem sorrisos
Sem boa noite dos
Seus lábios

A face coça
De alergia
Ou tristeza

O mundo
Já não parece
Possuir tanta beleza.

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Revolta

É tanto amor dentro de mim
que um dia meu coração
revolta-se
sai pela minha boca
e vai bater na porta do seu peito
lhe chamando de "meu"

Golden Hour II

And.
.
.
.
it's
.
.
.
.
.
about
.
.
.
.
.
.
.
to
.
.
.
           - He says: Hi!

Happen!

Love

terça-feira, 1 de abril de 2014

Golden Hour

60 minutos por dia
Que passo 23 horas
Esperando

60 minutos
De você
De nós dois
Um universo
De amor

segunda-feira, 31 de março de 2014

Rascunho

Quem dera eu
viver de poesia
alimentar-me de versos
que bem me faria!

Passar a vida rimando
em minh'alma buscando
os desejos e lembranças
as tempestades e bonanças
Aproveitando tropeços
fazendo novos começos
Criando estrofes
com o tema: amor
sem seguir regras
e nem tendo pudor.

Quem dera eu
viver de poesia
alimentar-me de versos
que bem me faria!

Quem dera eu, viver!





domingo, 30 de março de 2014

Embalos

Enquanto durar meu corpo
Enquanto me correr nas veias
O rio vermelho que se inflama
Ao ver teu rosto feito tocha
Serei teu rei teu pão tua coisa tua rocha
Sim, eu estarei aqui

L.

Final feliz de filme nenhum
ganha do nosso sono entrelaçado
amor de corpo, alma, presente e passado
felizes sonhando com um futuro em comum.

quinta-feira, 27 de março de 2014

Vida em Par

Como se agora
Já não mais pudesse
Viver uma vida ímpar
E par me fizesse.

Me vê dois desses, por favor.

Você, em minha alma jaz
Você acrescenta ao meu ímpar
Tudo o que de único lhe faz
Ser o meu perfeito par.

terça-feira, 25 de março de 2014

domingo, 23 de março de 2014

Esperança

Ó espera sonhadora
mal tu sabes que
hoje, positiva
antes foi atraída
pelo negativo.

E muito foi feito
muito  ignorado
muito  magoado
muito cega
muito imbecil
muito imatura
muito medrosa.
muito pouco.

Ó espera sonhadora
arranque esta angústia
que arrasta o passado
diante de meus olhos
Acreditando
que ele ainda não passou.

Ó espera sonhadora
deixe-me sonhar
com tal amor
que dói de medo
de perder-te
para tudo aquilo
que um dia lhe causei.

Ó espera!
Pois assim
Espero
Pois assim
Sonho
Com o teu perdão.
Para continuar amando-te
na esperança
de que não tenhamos fim.

sexta-feira, 14 de março de 2014

A César

É impressionante
como teu amor
traz com ele
uma porção
de desconsideração.

Darei a ti, César, o que mereces.
Desconsidero a minha
antiga obrigação
de sentir tua falta
de estender-te a mão.



segunda-feira, 10 de março de 2014

Pesada Intensidade

"(..)são aqueles "amigos" que necessitam dos outros para entrarem dentro dos traumas
 diários  de suas próprias vidas, que dão pouca importância aos outros, a não ser  como
ouvidos onde derramarem suas confissões."
(SENNET, 1998, p.324)

A intensidade 
não é justa
A intensidade
não é igualitária
A intensidade
é um peso
que pode
a qualquer hora
fazer os joelhos
tocarem o chão.
A intensidade
poderia ser eterna
se você tivesse
estendido sua mão.


domingo, 9 de março de 2014

Da chegada

Venha
e me faça
me desacostumar
com a solidão
e me desacostumando
fico
a aninhar-me
em teus braços
e encontrar-me
em teus beijos
Venha

domingo, 2 de março de 2014

Da paradoxa felicidade

A ilusão, as ficções, os simulacros são necessários 
à vida porque é preciso que a vida inspire confiança.
(LIPOVETSKY, 2007,p 339)

Ficções
Simulacros
Ilusão.

Enganas, tu que acredita 
na infinitude do ser.
Enganas, tu que acredita
no indolor permanecer.
Enganas, tu
se algum dia acreditou
que é mais fácil amar-te
Mais fácil seria
ultrapassar-te,
fitando-te
além de tua intocável
ausência.
Enganas, tu.
Ou, por destinatária sorte.
Engano-me.
Pois, engano-me
Até a morte.

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Domingo

Faltou nesse domingo
ser aquilo a que se nomeia
E de agora em diante
Renomeio este dia que chateia
Pulo almoços, sofás e  conversa alheia
Meu domingo agora se chama
Primeira-feira.

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Aquele que me faz sorrir

Um amor cheio de vida
Uma vida de um só amor.
Felicidade.
Encontre no meu olhar
as palavras de amor
não ditas ao vento.
Elas são suas.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

I will wait

Você veio para casa,como uma pedra e caiu pesadamente nos meus braços.
Estes dias de poeira que conhecemos serão levados para longe com este novo sol.
Então quebre o meu passo e tenha compaixão
Eu perdoei e espero que não se esqueça
Sei o que vimos, livremo-nos dos excessos.
Agora serei valente: além de forte.
Usarei minha cabeça junto com meu coração
Então pegue minha carne e conserte os meus olhos
Essa mente presa: livre-a das mentiras


E esperarei
Esperarei por você



terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Dissecação da Alma - Parte Um

 Há chorar com lágrimas, chorar sem lágrimas e chorar riso: chorar com lágrimas é sinal de dor moderada; chorar sem lágrimas é sinal de maior dor; e chorar com riso é sinal de dor suma e excessiva. 
 (VIEIRA, Padre Antônio. As Lágrimas de Heráclito)

E hoje me bateu
logo depois de almoçar
uma crise de risos
e um mal-estar.

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Incertezas

E o não-saber
de confiança
passa a ser
tortura.

Incertezas que corroem
e não me deixam esquecer.

sábado, 8 de fevereiro de 2014

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Constante

Latência
constante
que arrasta meus olhos
que os não deixam se fechar.

Latência
constante
que estica meus lábios
num suspiro a me dominar.

Latência
constante
amor.

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Da não-solene eternidade

umdoistrêsdez
diasmesesanos


Comemorar para quê?
Se já passaram.


umdoistrêsdez
diasmesesanos

Que as lembranças
Dessas andanças
à duas almas
comemorem
elas mesmas
em nossa causa.


Sonhemos com o porvir 
Sonhemos com o incerto,
Que nessa vida basta sentir
Para que o momento seja eterno.

sábado, 18 de janeiro de 2014

Go

E quando você vai embora
leva tudo o que melhora
e eu não consigo
dormir.

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Espalhafatosa

Falta senso
nessa censura.

Falta tempo
Nessa frescura.

Falta senso
de que o tempo
não adianta censurar.

Deixa a beleza da vida bela continuar.

Para de antecipar as lágrimas,
Continuemos felizes até a tristeza chegar!

domingo, 5 de janeiro de 2014

Criação

E no oitavo dia
fez-se a saudade
que afogou o peito
em delírios de presenças
falsas

E no nono dia
fez-se os olhares
cruzados
os beijos
molhados
os suspiros
de alívio.

Que invenção boa essa saudade, quando passa!

sábado, 4 de janeiro de 2014

Poesia Íntima

Poesia
não se empresta
Poesia
se presenteia
como o mais íntimo presente.
Poesia
tem cores várias, formas múltiplas.
Poesia
grandes, parágrafos cuspidos
pequenas, detalhes em uma linha.
Poesia
é tal e qual uma calcinha.

(Re)Construção

Me reconstruindo
em seus braços.
Depois de 
oito dias
sem abraços.