quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Agorismos da Alma Inquieta Parte Dois


"E agora?
Quando o que faltava
transborda
e agora sobra
E agora?"

Mesmo que sobre, falta
Falta, posto que nunca é muito!
Falta, posto que sempre deseja-se!

Deseja-se

Nasce daí.
Do que no fim é verbo, antes subjetivo
Desejo.
Do desejo começa o que se deseja mais, 
sempre!

Sempre

Será possível?
Ser eterno?
Pois é eterno, mesmo que dure um dia
Pois é possível por tamanha grandeza em poucos minutos vividos.
Pois será sempre o que mais se quis!


Será 
desejo
Será
sempre 
Será 
amor.








Agorismos da Alma Inquieta Parte Um

E agora?
Quando o futuro 
mudar de nome
virar presente
E agora?

Agora
Lembra
do passado, antes presente
e mantenha-se

E agora?
Quando o que faltava
transborda
e agora sobra
E agora?
Agora
Ama
nada mais, apenas
Ama
E agora?
Quando sonhos explodem
e caem
murchos
E agora?
Agora
Respira
Encha novos sonhos
Tem alguns na gaveta
Da escrivaninha
E agora?
Quando o saber
vai embora
sem deixar endereço
E agora?

Agora
Calma!
Pois  já sabe lembrar, já sabe amar  e já sabe respirar
basta isso para viver!


Quem dera fosse fácil assim, ter as respostas pras perguntas da vida diante do mundo!