terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Teus olhos

Teus olhos
Sempre janelas
De minh'alma
Hoje
Oceano profundo
De mágoa
Escuridão
Não compreendida.

Mas que ainda me fazem fitá-los
Buscando
Nessas água profundas
Alguma lágrima
Alguma vontade moribunda
De não me deixar partir
De acabar com tudo
O que me deixa
Aflita.

You are my one divine 
But I'll never look you in the eyes again.