quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Um último pra você

Um tal amor,
Uma senhora culpa,
Um mundo de arrependimentos,
de tentativas,
de buscar, entre espasmos um espelho para que eu pudesse me ver.
Forcei um sorriso,
Disse que tudo estava bem,
Disse que deveria ser feliz,
Que eu o queria feliz.
Feliz..
Feliz..
Feliz..
Fugi..
Para bem longe.
E nesse meu longe
não me privei do humano egoísmo.
Deixei que ele entrasse, sentasse,
bebesse um café.
Então gritou tudo aquilo que queria,
Levantou, andou em círculos,
jogou a xícara de café no chão.
Um grande desrespeito,
que eu gostei.
Vi que esse egoísmo estava aqui, o tempo todo,
Em cada espasmo quando forçava um sorriso
para dizer que por mim tudo bem.

Não.
Por mim nada está bem.
Tudo poderia estar melhor.
E você...
Você não deveria. Apenas não deveria.

Este é seu último.
Este tem de ser o seu último.

5 dias, 51 horas, 5 minutos.