quinta-feira, 19 de março de 2015

Início

Antes flor não arrancada
Deixada em teu mórbido estar
Hoje pétalas despedaçadas
Que se refazem a cada novo encontrar

Não comprometa-se
Por favor, não! 
Mas fiquei aqui
Já que estou em tuas mãos 

És suspiro, alívio 
Uma chance? Talvez
És o mais belo início 
Que nestes tempos se fez

Faça-me sua
Sem medo, ou pudor
Faça-me seu
Mais novo velho amor

Fluxo

Por ti parei
Enlouqueci
Chorei
Um pouco morri
Mudei
Passei a sentir
Amei
Por ti parei
De rimar
De sonhar
De tentar
De ser.
Por ti parei
E quando acabou
Voltei
Rimei
Sonhei
Tentei
Fui, sou.
Eu mesma
E vou indo
Sendo
Vivendo
Amando
Sem parar.