terça-feira, 28 de outubro de 2014

Entre

Com poesia não se engana
Poesia é como droga
Aquela que vicia
Aquela que te adora.

Amemos a poesia
E não seus sujeitos comuns
Da estranheza rima
Do verso perfeito, como nenhum.