terça-feira, 15 de abril de 2014

Da utilidade de planejar o inútil

Nestas tardes de Sol
Planejo futuros
Pensando em você

Que chega bem manso
Desarrumando todos
-planos pra quê?

Agora percebo, é nada mais que o desejo!
afogando minh'alma
Em desinquieta função

Organizando os minutos
Enquanto exista 
Qualquer solidão

Preenchem-me os sonhos
De tamanha esperança
Em ver-te sorrir

E durante esta andança
Já sem planos quadrados
Sem olhar para os lados
Do teu lado seguir. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário