domingo, 18 de setembro de 2011

Monossílabos

E tudo se acaba assim
Quando se chega no momento do dia
Que não se pode mais pensar,
Já que o pensar leva ao dizer
E tudo o que se quer é dormir
E daqui tenho que sair
Antes que o fim seja trágico
E eu nunca mais possa voltar
E acaba-se, não tão monossilábico
Essa cachoeira de palavras
Que se pôs a correr da alma
Daquela que antes, estava só a ver
E agora passa a também querer isto fazer.

Pena que o último não ficou tão bom quanto aqueles outros de antes...

Nenhum comentário:

Postar um comentário