Procura-se

A poesia não me cerca mais. Ela não nasce mais em meu olhar. A poesia me abandonou, sozinha em um mundo estranho, inútil.
Não deixou rastros,
Pistas,
Pedidos de socorro.
Não deixou lembranças.
Esqueço-me de tudo! Todo o tempo - um espaço vago.
A poesia fugiu, escafedeu-se. Não preocupou-se com as consequências, a poesia não é responsável ou ética, muito menos justa.
Me deixou esperando por ela, enganou-me. Pensei que voltaria, que logo teria rimas e rimas acompanhando meus passos, mas ultimamente só tenho prosas mentais, angustiadas, sem lugar.
Ultimamente só tenho pedidos de socorro camuflados entre sorrisos.

A poesia fugiu.. Escafedeu-se.
Me fez resto de rima, sozinha,
Desprovida de sentido,
Derretida em lágrimas,
Coberta de dores,
Espremida em olhares miopes
Dos outros vários
Que procuram por ela
Já beirando o desespero,
Ou, quem sabe, a alegria.

Comentários

Postagens mais visitadas