Travessia

Águas, imensidão de vida que nos rodeia 
Enquanto remamos, vivemos, traçamos 
Caminhos, desejos de um destino.
Dizem que uns ventos ajudam,
Mas também dizem que estes mesmos
Podem vir acompanhados de tempestades.

O barco não aguenta, vira,
Afogamos em águas de vida. 

Povo doido, estes dos barcos pequenos 
Barcos doídos de conseguir, 
Remendados com suor e alento 
Carinho de quem nada mais tem pra seguir 
Esperam por este mesmo vento 
E fazem de um tudo 
Içam velas,
Mapeam estrelas,
Passa horas com bússolas
Em punhos, em êxtase 
Até que chega o vento
O vento 
E eles respiram fundo, 
E deixam-se levar 
Nesse suspiro de vida 
Que pode matar. 


Comentários

  1. Como sempre incrível com as palavras! Só alguém que sente o mundo tão intensamente tem esse olhar pra coisas como o vento.

    "A flor só desabrocha pra Hermes, filho de Zeus, e encarregado de segurar o peso do céu "

    Ted.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas