quarta-feira, 6 de maio de 2015

Do vício abandonado

Nestes tragos
Lembranças e passados
Nicotina de desejos
Viciantes lampejos
De pouca vida
Muito maço
Arregaço
De uma alma
Sem ar,
Sem nada
Sem fogo
Queimada
Por fim
Liberto- me de tudo.
Apago o que será o último
A me fazer definhar.
Agora
Novos ares,
Vou respirar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário