sábado, 21 de dezembro de 2013

Ondas por vir



Nessas brabas ondas do mar,
É impossível 
Os pés na areia afundar
Nem que seja por um segundo, 
E te esperar.

Nessas brabas ondas do mar,
A maré vira coreógrafa
De uma dança de vais e vens,
Sem regredir ou ir além,
apenas em círculos a dançar.

Nessas brabas ondas do mar,
me vejo sozinha
sem você
sem tu, vós, eles.
Nessas brabas ondas do mar.

Quando a lua chega pra acalmar
estas brabas ondas do mar,
Consigo ver teus olhos,
Que mesmo distantes,
Ainda buscam me encontrar,
Nessas brabas ondas do mar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário