domingo, 3 de junho de 2012

Das Chamas Esquecidas

O ar não penetra os pulmões enrijecidos.
Olhos paralisados no tempo. Sem um piscar de vida.
Estão voltados para um passado sem fim.
Ninguém lhe avisou que passou. 
Ainda acreditava viver intensamente, o que já estava distante.
Os olhos paralisados no tempo.
Sem saber que o tempo já passou, 
Não enxergam o presente, não vê em frente um futuro.
Apenas lembra das chamas que viu.
Apenas deseja vê-las de novo.

Não sabe mais dessas chamas, não reconhece-as mais em seus olhos.
O ar não penetra os pulmões enrijecidos.
Olhos paralisados no tempo. Sem um piscar de vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário