sábado, 30 de julho de 2011

Falsos Poetas

Conservadores e defensores do amor...Eu digo que não!
Ao menor sinal de obstáculo eles param e desistem de tudo.
Desistir?
Desistir de algo que me fizeram enxergar?
Isso é revoltante! É deplorável! não é digno de quem mereça o amor!
Agora me vejo sozinha numa estrada onde, antes, eu tinha a quem pedir socorro no primeiro sinal de fraqueza. Não sei se as mãos que me carregam possuem essa confiança de chegar até o fim. Só sabia que no começo da estrada estavam dois heróis, confiantes que abriram meu peito para libertar minha alma daquilo que eu tinha medo de enfrentar.
Será que sou egoísta em pensar assim.
Não sei! Não quero ser, mas nesse exato momento só nisso consigo pensar.
Como me jogaram nesse precipício sem antes me dizer que lá em cima eles ficariam? Como?

Nenhum comentário:

Postar um comentário