segunda-feira, 24 de maio de 2010

Bem aventurados os doidos de pedra!

Basta este título para me sentir melhor.
E a dúvida um pouco se esvai, um pouco permanece.
Num mundo completamente insano nada mais normal do que sentir o que não se sente.
Não sentir o que se sente.
Basta que sinta, ou que saiba o que é sentir, pra respirar o ar das borboletas e esquecer do lugar macabro de onde viemos. uma origem nojenta e repugnante.
Assim caminha o cego buscanco cascalho por cascalho ter todas as sensações que a visão não lhe proporcionaria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário