segunda-feira, 24 de maio de 2010

Bem aventurados os doidos de pedra!

Basta este título para me sentir melhor.
E a dúvida um pouco se esvai, um pouco permanece.
Num mundo completamente insano nada mais normal do que sentir o que não se sente.
Não sentir o que se sente.
Basta que sinta, ou que saiba o que é sentir, pra respirar o ar das borboletas e esquecer do lugar macabro de onde viemos. uma origem nojenta e repugnante.
Assim caminha o cego buscanco cascalho por cascalho ter todas as sensações que a visão não lhe proporcionaria.

domingo, 23 de maio de 2010

Hoje nem é quarta eu sei mas tenho muita coisa pra dizer.
Parece que agora sou a vilã de uma história da disney, daquelas naturalmente más, que nem motivos necessitam.
Me perguntam, porque ficaste apenas na rua apenas longe.
Porque quando estou perto é a mesma coisa se eu estivesse longe, cansei dos mesmo bestiais assuntos de uma mente que se diz evoluída, sofrida com a vida, mas é a mesma criança que sonha com um príncipe e com isso consegue apenas derramar mais lágrimas nas pessoas que por ela são sempre esquecidas.
Na "rua" eu sou querida, bem tratada, amada de forma explícita, e me integro e me divirto.
Se você me falar que a "rua" não é real, eu duvido até o fim.
To tão puta que nem sei o que escrever, SIM PUTA, P-U-T-A.
Foda-se se é palavrão, se não gostou toma no cu que vai gostar.

domingo, 16 de maio de 2010

Desabafos e Desamassos

Poque essa volta inesperada faz com que tudo desmorone e aquela fantasia desabe.
E agora bate a porta mais uma sensação de insegurança.
O que um ciuminhos pode apontar ser o que já se tinha nomeado de amizade?
O que um momento de razão pode apontar como uma desilusão abrupta?
A sensação de sempre querer estar perto apenas aumenta.
E a dúvida sobre sentimentos faz minha cabeça girar.
Outra tequila por favor, eu preciso ir dançar.