quinta-feira, 8 de abril de 2010

Vítima, mais uma vez, apenas uma Vítima.

Cai, pronto, falei,
Cai em um sentimento que sempre me corroi de forma degradabte e humilhante.
Mas não há como resistir, ele chega devagar, abrindo pequenos sorrisos, entre os olhares e carícias.
Dessa vez estou mais armada, mas também mais confusa, porque tudo o que a gente quer chega junto? Não podia ter uma fila para relização de desejos, primeiro um, agora o próximo...
Eu quero isso, mas aquilo eu sempre quis.
Depois a culpa é minha de tanta neura. Na verdade a culpa é... de quem?
Acho que nessa história não a culpados, muito menos pano de fundo para poder justificar tudo isso ela simplismente acontece.
Chega dentro da gente de uma hora pra outra com os dedos em figa torcendo para um "final" feliz.
Mas nem sempre é isso que acontece, e assim lá vai ela derrotada, humilhada, dar espaço para a depressão chegar.
Tudo conspira ao meu favor e ao mesmo tempo contra mim. Essa dúvida, porque essa dúvida!?
O celular está mudo, só para aumentar minha angústia, um dia inteiro... 24 horas e mais um pouco, silêncio que me ensurdece de agonia.
Ela ainda está aqui... me fazendo sorrir abobalhadamente mesmo que o dia não esteja tão bom.
Meu Deus, se você existe, o que eu faço?
Se não existir nem apelar vai adiantar.
Apelei, desapelei. Agora respiro e aceito que ela está aqui, e pode não ser um dia bom para nós duas.
Você deve estar se perguntando, ela quem??
Ela.. uma nova história de paixão, de amor, de felicidade. Que pode estar prestes a ir embora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário