segunda-feira, 29 de março de 2010

Dispensável.

Hoje bateu aquela nostalgia dos tempos antigos.

Uma vontade de abraçar minha história como se assim pudesse vivê-la novamente, com a mesma intensidade e a mesma forma de sentir o que foi sentido.
Mas ao mesmo tempo sinto orgulho do logar pra onde voei, me sinto completa, sinto que o que bate aqui é um coração que deseja mais e mais, sempre mais!
Como se um Moulin Rouge fosse minha casa, mas eu quisesse mais do que isso, e assim surge alguém que pode me levar pra onde desejo, um lugar de sentir.
As vezes penso se o meu alguém vai demorar, ou se o azar sempre vai me perseguir. Eu penso ter vontade de tudo,mas ao mesmotempo de nada.
Escolhas certas, erradas. Escolher já é difícil, viver muito mais. Amar é impossível.
Espero agora que o sonho do futuro perfeito continue me ildindo, essa ilusão boa, de mundo feliz, de pessoas contentes. Talvez seja ma esperança. Talvez seja uma idiotice. Apeas digo ser bom pensar que o que tenho é pequeno perto do que quero ter.
Jogaram as cinzas do passado no mar, eu as engoli, pra nunca sairem de mim, nem por um só segundo.
Hoje o romanismo mudou até como escrevo. Belo romance idealizado em sofreres e cicatrizes.Bela maneira de dizer que tudo está perdido em um mundo de perdição.
Apenas lave suas lágrimas de sangue se prontifique e termine o que começou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário